Manuela no Livro de Curso de 1946, com poemas de Matilde Rosa Araújo e de Aura Freitas

A tecnologia na Educação portuguesa

 

1963 - Decreto Lei nº 45418 de 9 de dezembro 1963 (Criação do CPA - Centro de Estudos de Pedagogia Áudio-Visual);
1964 - Decreto Lei nº 46135 de 31 de dezembro de 1964 (Criação do IMAVE – Instituto de Meios Audiovisuais de Ensino);
1964 - Decreto Lei nº 46136 de 31 de dezembro de 1964 (Criação da Telescola);
1969 - Decreto Lei nº 48962 de 14 de abril de 1969 (Reorganização do IMAVE para Instituto de Meios Audiovisuais de Educação);
1971 - Decreto Lei nº 408/71 de 27 de setembro de 1971 (Criação do ITE – Instituto de Tecnologia Educativa);
1977 - Decreto Lei nº 491 de 23 de novembro de 1977 (Criação do ano propedêutico);
1988 - Decreto Lei nº 444/88 de 2 de dezembro de 1988 (Criação, de facto, da Universidade Aberta).

Curriculum Vitae

 

Licenciou-se em 1946 em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com a classificação final de 19 (dezanove) valores, e com a frequência com aproveitamento das cadeiras de 'História da Educação' e 'Higiene Escolar'.

 

De 24.02.47 a 15.11.51 desempenhou as funções de 2ª assistente da Secção de Filologia Germânica da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Durante esse quadriénio teve a seu cargo as aulas teóricas e práticas de 'Literatura Alemã I' e 'Literatura Alemã II'.

 

Após deixar a docência desenvolve nos anos 50 e 60 a maior parte da sua atividade de tradutora científica, filosófica e literária. A partir de 1978 predominarão as traduções técnicas.

 

Nos anos 80 estreia-se na tradução de poesia (Rilke e Nietzsche).

 

Trabalhos desenvolvidos no Instituto de Tecnologia Educativa (ITE) do Ministério da Educação português:

 

Na década de 70 ingressa no Ministério da Educação português: em 02.01.71 tomou posse no cargo de técnica de 3ª classe além do quadro prestando serviço no então Instituto de Meios Audiovisuais de Educação (IMAVE) que, a 27 de Setembro do mesmo ano de 1971 passou a chamar-se Instituto de Tecnologia Educativa (ITE) e hoje é a Universidade Aberta; em 01.08.72 foi promovida a técnica de 2ª classe além do quadro; em 01.03.73 foi integrada no quadro único do Ministério da Educação, tendo sido nomeada definitivamente técnica de 2ª classe com efeitos a partir de 01.03.75; e foi provida no cargo de técnica de 1ª classe do quadro único do pessoal dos Organismos e Serviços Centrais do Ministério da Educação com efeitos a partir de 01.01.78.

 

De 1971 a 1978 exerceu no ITE funções nas áreas da documentação e da utilização pedagógica dos meios audiovisuais, nomeadamente no que respeita à sua aplicação ao ensino da língua e da cultura portuguesas; no exercício das suas atividades naquele Instituto, elaborou coleções de diapositivos para fins pedagógicos, coordenou cursos feitos em circuito fechado e colaborou em projetos de produção de conjuntos multimédia para apoio aos leitorados portugueses no estrangeiro.

 

Participou, como delegada do ITE, no grupo de trabalho interministerial que promoveu a realização das Jornadas Portuguesas em França em 1974/75, destinadas às comunidades de emigrantes portugueses.

 

Tradutora da Divisão de Relações Exteriores do Ministério da Educação:

 

Em 09.02.78 transitou por destacamento para a Divisão de Relações Exteriores da Secretaria Geral. De acordo com o Decreto-Lei 191-C/79 foi integrada na categoria de técnica superior de 1ª classe; após candidatura ao concurso de provimento de técnico superior principal foi promovida a essa categoria nos termos do nº 1 do artigo 18º do Decreto-Lei 81/83, de 10.02.83, e nela se aposentou em 1 de Junho de 1992 (Diário da República 223 de 26-09-92).

 

Exerceu desde 1978, na Divisão de Relações Exteriores, as seguintes atividades: tradução para francês, inglês e português de relatórios, estudos, acordos, atos de direito comunitário e documentos necessários aos contactos com as organizações de cooperação internacional e à participação desse Ministério em reuniões internacionais.

 

Teve a seu cargo, de 1982 a 1985, a coordenação e supervisão do boletim Documentação Internacional, de divulgação da informação educacional recebida na DRE, proveniente da UNESCO, OCDE, Conselho da Europa, etc.

 

Contribuiu regularmente para o referido boletim através de análises de documentos das organizações internacionais mencionadas.

 

ALGUMAS atividades de tradução na DIVISão DE RELAÇÕES EXTERIORES DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO:

 

Versão para português

 

  • Atos de Direito derivado comunitário (CEE), s/d.
  • Estatuto da Escola europeia e protocolo adicional, s/d.

 

Versão para francês e/ou inglês

 

  • Relatório sobre a escolaridade obrigatória em Portugal, OCDE 1978.
  • Relatório sobre políticas de admissão ao ensino pós-secundário, OCDE 1979.
  • A educação da criança portuguesa dos 3 aos 8 anos, brochura editada por ocasião da realização em Lisboa da XII Sessão da Conferência Permanente dos Ministérios da Educação do Conselho da Europa, 1981.
  • Relatório sobre a aplicação da recomendação relativa à condição do pessoal docente, UNESCO 1982.
  • Relatório nacional sobre a aplicação do pacto internacional relativo aos direitos económicos, sociais e culturais, UNESCO 1982.
  • Relatório nacional para a conferência do conselho da Europa sobre o ensino primário: objetivos, problemas e tendências, Conselho da Europa 1982.
  • Relatório sobre a avaliação dos novos programas de língua estrangeira, Conselho da Europa 1982.
  • Relatório sobre o desenvolvimento da educação de adultos, UNESCO 1982.
  • Relatório sobre a aplicação da convenção sobre a luta contra a discriminação no domínio do ensino, UNESCO 1983.
  • Relatório nacional à conferência internacional da educação, UNESCO 1984.
  • Lei de bases do sistema educativo, 1986 (1ª ed.).
  • Relatório nacional à Conferência internacional de educação, UNESCO 1986.
  • Formações de nível superior na área de Engenharia, 1987.
  • 5º questionário da UNESCO sobre a aplicação da convenção relativa à discriminação no ensino, 1987.
  • Programa de desenvolvimento da educação para Portugal, 1988.
  • Comunicações apresentadas à 4ª Conferência de Ministros dos Estados Membros da Europa, 1988.
  • Aplicação do pacto internacional relativo aos direitos económicos, sociais e culturais, ONU 1989.
  • Numerosa correspondência e atas de visitas ministeriais solicitadas pelo Gabinete do Ministro.

 

Participação em colóquios, seminários e cursos:

 

No país

 

  • Colóquio sobre tecnologia educativa e ensino de línguas – organizado pelo ITE, Lisboa 1974;
  • Seminário sobre o papel dos audiovisuais no ensino e na educação – orientado por H. Dieuzeide, ITE, Lisboa 1975;
  • Seminário sobre integração dos media no ensino – orientado por R. Laborderie, ITE, Lisboa 1975;
  • Seminário de formação – orientado R. Laborderie e A. Jeannel, ITE, Lisboa 1976;
  • Seminário de pedagogia moderna – orientado por G. Snyders, Lisboa 1976;
  • Curso de rádio educativa para formação de professores – regido por B. Wallner, ITE, Lisboa 1976;
  • Seminário sobre avaliação – organizado pela Swedish International Development Authority, Lisboa 1977;
  • Congresso nacional de tradução – ISLA, Lisboa 1988.

 

No estrangeiro

 

  • Curso para tradutores, organizado pelo Goethe Institut, Göttingen, Alemanha, 1976.

Este site foi dedicado por Manuela de Sousa Marques Pinto dos Santos a todos os estudantes de Literatura atuais e futuros.

Reúne os seus trabalhos de ensaística e o elenco das suas traduções, constituindo a principal referência para o conhecimento da sua vida e da sua obra.

 Maria Manuela de Sousa Marques Pinto dos Santos, 2009, 2015.

 Autorizados e encorajados todos os usos com menção da fonte.